terça-feira, 9 de outubro de 2018

28. INDÚSTRIAS - Aveiro

1979/ Óleo sobre carvão/ 32x51cm
295,00€

27. KAMA SUTRA

2003/ Tinta da China/ 16x15cm
295,00€

26. FERNANDO PESSOA - O Oficial

1997/ Acrílico sobre tela/ 100x80cm
1.250,00€

25. ARTE XÁVEGA

1990/ Guache/ 37x47cm
195,00€

24. VOLÚPIA

1994/ Acrílico sobre tela/ 49x69cm
495,00€

23. WORKMAN

1965/ Aguarela/ 60x45cm
395,00€

22. PESCADOR

1965/ Aguarela/ 60x42cm
395,00€

21. AVEIRO - CAIS DOS BOTIRÕES

1976/ Tinta da China/ 30x42cm
195,00€

20. NA PRAIA DE CASCAIS

1969/ Aguarela/ 60x42cm
395,00€

19. O MARTELO

1965/ Aguarela/ 60x42cm
295,00€

18. MISTERIOUS INDIA

1983/ Óleo sobre Tela/ 80x60cm
1.500,00€

17. RUA DE CASCAIS

1997/ Acrílico sobre tela/ 50x70cm
695,00€

16. ABSTRACÇÃO GEOMÉTRICA

1974/ Acrílico sobre platex/ 50x70cm
350,00€

15.

14. CARROS - Cascais

1964/ Tinta da China/ 40x55cm
295,00€

13.

12. PESSOA NA COSTA NOVA - Ilhavo

1997/ Óleo sobre tela/ 81x100cm
2.500,00€

11. FIGURA MASCULINA - Cascais

1969/ Mista sobre Cartão/ 28x20cm
195,00€

10.

9. À PORTA DA TABERNA

2003/ Acrílico sobre tela/ 50x60cm
495,00€

8. O VARIK

1966/ Aguarela/ 60x42cm
395,00€

7. TERESA - Filha do Pintor

1965/ Mista sobre cartão/ 60x41cm
395,00€

6.

5. NATUREZA MORTA

Óleo sobre tela/ 80x110cm
1.500,00€

4. CASAS VELHAS - CASCAIS

1970/ Óleo sobre contraplacado/ 55x67cm
1.500,00€

3. INDIANAS

1992/ Aguarela/ 37x56cm
295,00€

2. AVEIRO NOTURNO

2001/ Óleo sobre tela/ 40x60cm
475,00€

1. VÉNUS DE MILO

1989/ Mista sobre papel/ 60x41cm
395,00€

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Pintura Anos 90



Pintura Anos 70


Pintura Anos 60





Pintura - Anos 80


"Natureza Morta com Candeeiro a Petróleo"

1979/ Óleo s/madeira/ 43x60cm

"Natureza Morta com Pincel"

1984/ Aguarela s/papel/ 31x44cm

"The Judge"

19-04-1969/ Óleo s/tela/ 65x49cm

sexta-feira, 6 de abril de 2018

CURRÍCULO


CURRÍCULO
Michael Nicholas Barrett
Pintor

MICHAEL NICHOLAS BARRETT
Filho de Dorothy Alice Barrett
Nasceu em Paris a 13.02.1926
1961 • Casado com Marie Louise Forsberg Barrett (Sueca)
Filho: João Nicolau F. Barrett (21.08.1961)
Filha: Teresa Cristina F. Barrett (15.10.1963)

Expõe Individualmente 
1954 - Sociedade da Propaganda de Cascais
1967 - S.N.BA, Lisboa
1968 - Hotel Flórida, Lisboa
1969 - Cine S. José, Cascais
1970 - Galeria do Diário de Notícias, Lisboa Galeria da Junta de Turismo da Costa do Sol Galeria do Casino Estoril
1971 - Galeria do Casino Estoril; Galeria A Gruta, Cascais
1972 - Galeria de Arte Moderna Littie Tree, Cascais; Palácio Foz, Restauradores, Lisboa
1976 - Galeria A Grade, Aveiro; Pizerrie, Paris
1978 - Galeria A Grade, Aveiro; Galeria 1° de Janeiro, Coimbra
1979 - Junta de Turismo da Costa do Sol
1982 - Galeria A Grade, Aveiro
1983 - Galeria das Termas do Luso
1984 - Galeria A Grade, Aveiro
1986 - Retratos Polémicos do Fernando / Imagens do Impossível, na CROVAM, Ílhavo; Retratos Polémicos do Fernando / Imagens do Impossível, Galeria A Grade, Aveiro
1987 - Galeria Roca, Marinha Grande
1988 - Retrospectiva - 35 anos de Pintura, Hotel Meridian, Lisboa; Galeria Séc. XVII, Leiria
1990 - Galeria Cris-Shop, Coimbra; Galeria Séc. XVII, Leiria; Galeria Augusto Pereira, Moníemoro-o-Velho
1991 - From Buarcos with love, Galeria do Casino da Figueira da Foz; From Buarcos with love, Galeria do Hotel Imperial, Aveiro; Galeria Be/o-Be/o, Braga
1992 - Galeria Séc. XVII, Leiria
1993 - Cooperativa Grão a Grão, Figueira da Foz
1994 - Retrospectiva dos 40 anos de pintura A.P. - Centro de Arte (Revista Artes Plásticas), Lisboa; 40 anos de pintura, Galeria A Grade, Aveiro; 40 anos de pintura, Galeria Séc, XVI, Leiria; 40 anos de pintura, Leiria; O Rastro, Figueira da Foz
40 anos de pintura, Museu Dr. Santos Rocha, Figueira da Foz; 40 anos de pintura, Polimol, Aveiro; 40 anos de pintura, A. Fontes, Lda., Aveiro; 40 anos de pintura, Moldartis, Aveiro; 40 anos de pintura, Esquina Viva, Aveiro; 40 anos de pintura, Enquadrar, Aveiro; 40 anos de pintura, Galeria A Margem, Águeda; 40 anos de pintura, Galeria/Bar do Hotel Imperial, Aveiro; 40 anos de pintura, Galeria do Casino, Fig. da Foz; Do Infante ao Pessoa - 500 anos de Barrett, Galeria A Grade, Aveiro
1998 - Do Infante ao Pessoa - 500 anos de Barrett, Galeria Campo Fiorito, Niterói, Rio de Janeiro
2001 - Galeria Sacramento, Aveiro

Expõe Colectivamente 
1955 - Sociedade da Propaganda de Cascais 
1957 - Jardim 57, Cascais
1964 - Banco Borges & Irmão, Cascais; Cooperativa Árvore, Porto (desenho); Salão de Desenho e Gravura na Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa
1965 - Secretariado Nacional de Informação, Lisboa (dois trabalhos aceites); Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa (com Vitor Belém)
1966 - Galeria Comercial Hotel Estoril Sol Luisiana Jazz Clube
1967 - Encontro, Cascais
1968 - Bruxelas, Lisboa e Bruxelas XIV Salão de Outono da J.T.C.S.
1969 - Galeria da J.T.C.S.; Galeria 48, Lisboa; XVI Salão de Primavera da J.T.C.S. (dois trabalhos aceites); VII Salão de Arte Moderna, J.TC.S. (um trabalho aceite); V Salão Motivos da Costa do Sol, Galeria do Casino Estoril (dois trabalhos aceites); 
1970 - 4-B, Cristal, Cascais; Galeria Yela, Lisboa; Salão Luso-Espanhol, Embaixada de Espanha (um trabalho aceite); l Exposição Estoril-Arte, Parque do Estoril; Restaurante Estribinho, Cascais;
1971 - Vários trabalhos na Matur, Madeira; Galeria da J.T.C.S.; Salão do Círculo Luso-Espanhol, Sintra (cinco trabalhos aceites); XVI Salão de Primavera, J.T.C.S.; Salão de Outono da J.T.C.S. (dois trabalhos aceites)
1973 - Grupo 5, no Casino Estoril
1974 - Grupo 5, no Casino Estoril
1977 - Exposição Internacional de Arte, Estoril; I Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1979 - Galeria Peninsular, Casino da Figueira da Foz; II Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1980 - III Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1981 - IV Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1982 - V Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1983 - VI Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade. Aveiro
1984 - VII Colectiva de Dezembro, Gateria-4 Grade, Aveiro
1985 - I Mostra de Arte Contemporânea Portuguesa, Rio de Janeiro
VIII Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1986 - La Pub, Figueira da Foz
IX Colectiva de Dezembro, Galeria-A Grade, Aveiro
1987 - X Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1988 - XI Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1989 - XII Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1990 - Galeria Séc. XII, Leiria
XIII Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro
1991 - Galeria do Casino da Figueira da Foz
1992 - XIV Colectiva de Dezembro, Galeria/A Grade, Aveiro
1993 - XV Colectiva de Dezembro, Galeria A Grade, Aveiro Galeria do Casino da Figueira da Foz; 20° Aniversário da Galeria A Grade, Aveiro
1994 - Ressurreição da Natureza morta II, Galeria A Grade, Aveiro; Colectiva de Pintura e Escultura, Galeria A Grade, Aveiro
1995 - Galeria Samora Barros, Albufeira; Galeria da Má Língua, Centro de Arte de Buarcos
1996 - Galeria da Má Língua Centro de Arte de Buarcos; Galeria A Grade, Aveiro; Feira de Arte, Miranda do Corvo; Hotel Almansor, Algarve; Hotel Mercure, Figueira da Foz; Câmara Municipal de Penela; Galeria Casino Peninsular, Figueira da Foz; Pousada de S. Miguel, Sousel; Galeria Sec. XVII, Leiria; I Bienal de Arte, Marinha Grande; I Encontro de Arte, Mesão Frio
1997 - Galeria da Má Língua Centro de Arte de Buarcos; Pousada dos Lóios, Évora; Galeria Grão a Grão, Figueira da Foz; Galeria A Grade, Aveiro; Galeria Átrio, Vila Real; Câmara Municipal, Gois; Museu Municipal, Figueira da Foz
1998 - Arte Contemporânea, Galeria do Casino Estoril; Niterói, Brasil; Funchal, Madeira; Colectiva "Revolução/Evolução"; Galeria da Má Língua Centro de Arte de Buarcos; Galeria Augusto Pereira, Montemor-o-Velho/Exposição Inaugural; Exposição Comemorativa dos 500 anos do descobrimento do Brasil, S. José dos Pinhais, Panamá,
Brasil
2000 - Terra Brasilis, 500 anos de Brasil; XXII Colectiva de Dezembro, Galeria Sacramento, Aveiro;
2001      XXIII Colectiva de Dezembro, Galeria Sacramento, Aveiro;
2002      XXIV Colectiva de Dezembro, Galeria Sacramento, Aveiro
2003      XXV Colectiva de Dezembro, Galeria Sacramento, Aveiro

Prémios
1968 - 2° Prémio (ex-aequo) no XIV Salão de Outono da J.T.C.S. 
1971 - 1° Prémio de Pintura no Salão de Outono da J.T.C.S. 
1985 - 1º Prémio no VI Salão de Outono do Casino Estoril

Está representado nos Museus de Aveiro e Figueira da Foz, e em várias colecções particulares e oficiais por quase todo o mundo.

Faleceu a 6 de Maio de 2004. Repousa no Cemitério da Guia em Cascais.

Anos 50



Retrato Rosa Sílvia Capote

1984/ Acrílico s/tela/ 90x70cm

Os retratos de Rosa Sílvia. Há neles impressa, em tons diferentes, a amizade que liga o artista à retratada. É uma relação cerimoniosa e quase distante, razão porque, nas referidas obras, foi usado  o rigor formal e cromático. A atenção privilegiou a composição e são meditados os termos empregues. Rosa Silva é vista e dada com ausência, motivo porque a fase obtida se queda inabordável como um mito em seu hermetismo onde o registo psíquico se fica pela sugestão.

Edgardo Xavier
Crítico de Arte - Julho/94

Retrato Nuno Sacramento

04-07-1981/ Acrílico s/tela/ 47x34cm

Auto-Retrato

Luso 19-06-83/ Desenho com esferográfica s/ papel/ 30x21cm

(...) no fundo, quem sou eu?... Quem sou eu, senão um SER atormentado, como todos os homens, que não quer senão pintar, que só não é medíocre, pintando? Quem sou eu, senão alguém que sonha com dias cada vez melhores, para ele, para a sua família e amigos e para a sua pintura, a sua maneira de falar, de comunicar e de estar na vida? No fundo, quem sou eu? (...)

Michael Barrett
Pintor - Julho/94

Teresa Barrett

1973/ Óleo s/platex/ 65x64cm

Michael Barrett é uma referência da arte portuguesa do século XX. Foram várias as exposições individuais que realizou, colectivas em que participou, foram vários os prémios que recebeu e está representado nos Museus de Aveiro e Figueira da Foz.
Michael Barrett sempre fugiu dos padrões convencionais, academismos da moda, sempre foi um artista que tentou fugir desses padrões. No entanto, a sua obra revela, de alguma forma, a influência de alguns pintores e foi realmente Matisse em quem ele se apoiou e quem mais admirou e era junto da obra de Matisse que ele encontrava o equilíbrio necessário para a realização da sua obra.

Ana Redondo
Administradora da Figueira Grande Turismo

Retrato José Sacramento

Ílhavo 27-10-1978/ Acrílico s/tela/ 100x81cm

Estupenda peça, em tons de amarelo, na qual Michael Barrett traduz um amigo para ele importante. Trata-se de José Sacramento, o homem a quem confiou a divulgação da sua arte. Tranquilidade e energia dimanam a figura grava, construída com a serenidade de leão saciado, imponente e austera. Sobrolho fechado e braços cruzados, num todo jovial e robusto apresenta-nos características que o pintor pretendeu importantes em juízo de uma maior fidelidade ao aspecto do seu «marchand». Repara-se que neste retrato, Barrett controlou, cuidadosamente, a impulsividade que lhe é tão peculiar. Foi amável e deferente. É facto que José Sacramento, encarnando a confiança e o respeito, induz sobejas razões para a meditação deste quadro que acreditamos ser de grande qualidade.

Edgardo Xavier
Crítico de Arte - Julho/94

Retrato do Pintor Mário Silva

1986/ Acrílico s/tela/ 90x70cm


Falar do Michael é difícil! Porque para mim ele era um super amigo, um super homem e um super pintor. A sua obra caracteriza-se pela grande expressão que teve em captar com todo o sentimento e realismo o mundo que o rodeou.
Pintou peixeiras, mendigos, o mar, paisagens, naturezas mortas e tudo aquilo que o inspirava. Michael para mim, é sobretudo o sentido da cor, que nele é extremamente dinâmico.

Mário Silva
Pintor

"Mandarim Ocidental, António Menano"

1993/ Acrílico s/tela/ 70x60cm

De vez em quando "sonha" com o Oriente, aproxima-se da Terra do dragão, do império do meio, ressonâncias de contactos de interposta pessoa, ou directos. Deste "diálogo" aparecem o "Retrato de miss Lee", belas aguarelas sobre a Baía da Praia Grande, frutos e cerâmicas orientais, e acrílicos vários como "Mandarim Oriental", "Pessoa à hora do chá" e "Cuelli", etc. Referência ao enigma, ao exótico sublimado e sublinhado pelo sonho. 

António Augusto Menano
Poeta, Escritor e Pintor

Trouxe-o Comigo

1998/ Acrílico s/tela/ 195x114cm

EU, MICHAEL

EU, MICHAEL
Michael Barrett
1994

"... no fundo, quem sou eu?... Quem sou eu, senão um SER atormentado, como todos os homens, que não quer senão pintar, que só não é medíocre, pintando? Quem sou eu, senão alguém que sonha com dias cada vez melhores, para ele, para a sua família e amigos e para a sua pintura, a sua maneira de falar, de comunicar e de estar na vida? No fundo, quem sou eu?.,." O meu nome é Barrett. Michael Barrett. 
Nasci em Paris em 1925, fruto da união de uma senhora inglesa com um senhor francês, que nunca cheguei a conhecer, facto que me marcou e influenciou o meu comportamento, a minha personalidade e até a minha pintura. 
Aos 8 anos encontrava-me em Barcelona, acompanhado por minha mãe e avó, quando eclodiu a guerra civil de Espanha. Passado algum tempo mudámo-nos para Seats, perto de Barcelona, e a guerra encontrava-se no auge. Fomos evacuados por um navio de guerra inglês e levados até Marselha. Lá, por decisão materna, embarcados para Portugal num navio holandês.
Vivemos em Lisboa, depois no Estoril, depois em Cascais e finalmente em Buarcos (Figueira da Foz), onde resido actualmente.
Tinha, pois, 9 anos quando cheguei a Portugal, sem saber uma palavra de português! Como não gostava de ficar em casa - para grande desgosto de minha mãe - fui-me habituando aos miúdos do bairro, pelo que posso afirmar que a minha base cultural da língua portuguesa foi a rua! 
Mais tarde estive no "Julian School" durante quatro anos e meio, mas como fui sempre um péssimo aluno, a minha mãe resolveu tirar-me de lá, tendo-me arranjado um professor particular que me ensinava o português, matemática, geografia, história, etc.. Tive portanto uma educação formal muito limitada, e até aos vinte anos pouco mais fui do que um "playboy", na Costa do Estoril. Nessa altura comecei a trabalhar numa companhia, como intérprete; depois fui tradutor, por uns meses, na TWA; mais tarde, caixeiro viajante, tendo-se seguido vários outros empregos temporários, até que trabalhei numa firma distribuidora de filmes, onde fui friamente explorado, tendo-me então decidido a nunca mais ter patrões! 
Um dia, numa conversa de café, um amigo de Cascais - o arq. Gil Graça - sugeriu-me que dedicasse os meus tempos livres a pintar, e dispôs-se mesmo a arranjar-me um bloco, uns lápis e umas tintas. Eu que me considerava uma nulidade em matéria de arte - devido à "falta de jeito para o desenho, que me obrigava, quando aluno do colégio St. Julian" a pedir ajuda aos meus colegas - achei a ideia absurda e nunca mais voltei a pensar no assunto. Alguns dias depois, cumprida a promessa que me fizera, o arq. Gil Graça, apareceu em minha casa munido do material indispensável à pintura e para meu espanto, algumas semanas mais tarde, já me encontrava a trabalhar numa aguarela, em frente à baía de Cascais e - assombro! -não me estava a sair tão mal como isso!... Foi o princípio da minha "viagem" à descoberta da pintura, de mim mesmo e dos outros.
Mas, a vida continuou a desenrolar-se, paralelamente às minhas descobertas no campo artístico e, algum tempo depois de ter conhecido uma senhora sueca, casávamo-nos; tempo depois a família aumentou com o nascimento do Niki - João Nicolau - e finalmente com a vinda da Teresa Cristina. Apesar de nem eu nem a minha esposa possuirmos nacionalidade portuguesa, ambos o éramos por opção. Apesar de estrangeiros, os nossos filhos viveram e cresceram aqui e hoje são portugueses de nascimento e de coração. À parte de alguns interregnos mais ou menos involuntários e a par com o desenvolvimento e crescimento da família, evoluía a minha pintura e se no início eu era "uma pessoa que pinta" hoje sinto-me pintor.

Portugal Minha Pátria

1997/ Acrílico s/tela/ 115x195cm

28. INDÚSTRIAS - Aveiro

1979/ Óleo sobre carvão/ 32x51cm 295,00€